Governo do Maranhão concede uso de terras para agricultores do projeto Salangô

0
Comentários

Na manhã desta quarta-feira (04), o Governo do Estado realizou o sonho de centenas de agricultores familiares da cidade de São Mateus do Maranhão.

O Salão de Atos do Palácio dos Leões foi palco da solenidade de entrega de contratos de concessão de uso da terra para os agricultores do projeto Salangô. No total, 212 agricultores vinculados a nove associações foram beneficiados pelo projeto, neste primeiro momento. O plano é que novas concessões sejam entregues ao longo deste ano.

A visão de promover a agricultura familiar em nosso estado, valorizando a vocação do maranhense em sua lida cotidiana com a terra, revela o compromisso do governo Flávio Dino para com aqueles que vivem e convivem com os campos, águas e riquezas naturais de todo o Maranhão.

Atualmente, há produção em 317 hectares do Projeto Salangô. A expectativa para este ano é a de que alcance 600 hectares, com hortifrutis, arroz e sementes de arroz.

Além disso, o governo do Maranhão já tem investido no aumento da produção no perímetro com insumos, assistência técnica e regularização fundiária, ponto chave do evento desta quarta-feira.

Solenidade de entrega do uso de terras

Mais de 200 agricultores foram beneficiados pelo projeto. Novas concessões serão entregues ao longo deste ano. (Foto: Handson Chagas)

Mais de 200 agricultores foram beneficiados pelo projeto. Novas concessões serão entregues ao longo deste ano. (Foto: Handson Chagas)

Carlos Brandão, governador do Estado do Maranhão em exercício, realizou a entrega dos documentos que concedem o uso de terras para agricultores do projeto Salangô na presença de deputados estaduais, do senador da República interino, Pinto Itamaraty; do vice-prefeito de São Luís, Júlio Pinheiro, na ocasião representando o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior; secretários de Estado, presidentes e diretores de entidades parceiras, além dos próprios agricultores e presidentes das associações que hoje fazem parte do Salangô, assim como o prefeito da cidade sede do projeto, Milton Aragão.

Transformação concreta

“De 2015 para cá, quando o projeto foi retomado, o seu centro administrativo foi reformado, a estação de bombeamento recuperada com aquisição de sistema elétrico mais moderno, transformadores e bombas submersíveis passaram por manutenção, o canal principal e os secundários também passaram por melhorias, além da abertura de sistema de drenagem e estradas de acesso”, destacou o secretário de Estado de Agricultura e Pesca, Márcio Honaiser, um dos principais articuladores do projeto.

As cifras também falam por si só. Apenas em 2016, foram investidos R$ 2.790.885,48 em reformas e manutenção de equipamentos, além da infraestrutura de acesso.

Ainda neste ano, cada agricultor receberá do governo kits de irrigação para um hectare dos quatro a que cada um terá direito a partir de hoje. Aliado a isto, estão previstas reformas de mais prédios do centro administrativo do Salangô, manutenção de outras onze bombas e oito quadros de comando, além de 44,6km de estradas dentro do perímetro, que nunca passaram por nenhum tipo de intervenção em trinta anos de criação do Salangô no Maranhão.

Estradas estas que foram solicitadas inclusive pelos agricultores do Salangô, durante a solenidade, por conta da importância do empreendimento: “Em nome da comunidade peço que as autoridades nos auxiliem na recuperação das estradas da região para que o escoamento da produção local aconteça da melhor forma possível”, argumentou o agricultor Raimundo Nonato Ribeiro. O pedido foi prontamente acatado.

O projeto Salangô

Consiste em um perímetro público de irrigação que compreende uma área de aproximadamente 3.630 hectares, projetado com vários sistemas de irrigação (sistema de irrigação por inundação, por microaspersão e aspersão convencional), que se localiza a margem direita do rio Mearim, a 18 km da sede do município de São Mateus do Maranhão.

O Salangô é um dos programas carros-chefes do governo do Estado e tem na pessoa do Carlos Brandão um grande entusiasta: “Foi ele quem abraçou o projeto, junto com o governador Flávio Dino, desde as primeiras horas deste governo. Sem eles seria muito difícil nós estarmos neste momento dando esse passo que agora estamos dando.

Outros investimentos estão sendo alocados para mais adiante. Este projeto saiu das matérias negativas e deixou de ser chacota nacional para avançar de maneira extremamente positiva. A união de forças poderá tornar São Mateus em a ‘Petrolina do Maranhão’’, apostou o prefeito Milton Aragão – o Miltinho – ao se referir ao projeto cearense que foi iniciado nos anos de 1990, assim como o Salangô, e que hoje já exporta os seus produtos e dispõe de aeroporto internacional, transportando hortifruts para a Europa.

O secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares, também reforçou o empenho pessoal de Carlos Brandão: “Ele foi pessoalmente ver cada etapa do projeto Salangô. É alguém que se mostrou interessado no projeto desde a sua retomada, desde a limpeza inicial dos canais”.

Adelmo afirmou, ainda, que o ano de 2017 acontece com um passo fundamental. “Encerramos o ano passado entregando a titulação de terras a 39 agricultores do município de Tuntum e hoje entregamos as titulações aos agricultores de São Mateus”, algo considerado essencial para aqueles que cultivam a terra e dela tiram o seu sustento.

“Sabemos que esse projeto é perfeitamente viável e alimentamos a perspectiva de que até o final de 2018 teremos cerca de 2.500 hectares irrigados. Isso é fruto de um trabalho conjunto e os resultados já estão aparecendo”, declarou Brandão, ao final do evento.

Seja o primeiro a comentar em "Governo do Maranhão concede uso de terras para agricultores do projeto Salangô"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*