Incoerência ideológica acirrada vai dificultar uma nova coalizão entre tucanos e comunistas no Maranhão

0
Comentários

Não vai ser tarefa fácil para o vice-governador Carlos Brandão(PSDB) se manter no comando do partido no Estado  sem um projeto  para o Maranhão. As eleições para presidente em 2018 serão um divisor de águas. Brandão vai ter que lutar  contra a divergência ideológica cada vez mais acirrada para manter a chapa PCdoB/PSDB na eleição de governador. O cenário de 18 é completamente diferente da coalização que levou Flávio Dino(PCdoB) ao comando do executivo maranhense.

Os tucanos do cenário nacional querem um projeto de poder para o partido no Estado com o objetivo de somar politicamente na chapa presidencial. O tamanho do PSDB e a história do partido não permitem que os tucanos   fique apenas acomodados num puxadinho disponibilizado pelos comunistas. Carlos Brandão está pressionado por lideranças do partido como o ex-prefeito de Imperatriz e ex-deputado federal Sebastião Madeira. A liderança tucana da Região Tocantina deu sinais que não aceita mais a incoerência política e programática no qual   os tucanos foram submetidos no Maranhão.  “Aqui no Maranhão, chegou a hora e a vez de o PSDB assumir o seu destino de um grande partido. Agregando novos quadros, convidando novos lideres para que, enfim, o partido assuma o seu papel na política do estado”, disse Madeira.

O ex-prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira (PSDB) deu uma alfinetada e tanto no

Outro que não aceita mais o partido sem projeto de poder para o Maranhão é o presidente do diretório do PSDB em São Luís e suplente de senador, Pinto Itamaraty.

Pinto da Itamaraty classificou a declaração de precipitada e que o posicionamento de Brandão não tem sustentação política na base da legenda.

“Acredito que o presidente não soube se explicar. Há quem realmente queira manter [o PSDB] no Governo, mas há muitos outros que querem caminhos próprios”, declarou Pinto da Itamaraty, que destacou que o partido só começara a discutir efetivamente o rumo da legenda a partir do segundo semestre deste ano.

 

 

Seja o primeiro a comentar em "Incoerência ideológica acirrada vai dificultar uma nova coalizão entre tucanos e comunistas no Maranhão"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*