Sagrima é convidada a apresentar projeto de cultivo de ostras no Pará

O sucesso do primeiro ano do projeto de Cultivo de Ostras em Mesas Fixas, em Humberto de Campos, está chamando a atenção de outros estados. A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), responsável pelo projeto, foi convidada pelo Sebrae/PA a apresentar os primeiros resultados desse trabalho no 7º Encontro de Ostreicultura, em Belém, no próximo dia 17.
O projeto foi implantado em novembro de 2015 no povoado Cedro, em Humberto de Campos, pela Sagrima, que capacitou produtores, ofereceu assistência técnica e intermediou a comercialização dos produtos, com apoio da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), que certificou a sanidade das ostras.
As primeiras ostras cultivadas no projeto começaram a ser comercializadas no final de setembro, em unidades do Mateus Supermercados e Fripeixe, inserindo os aquicultores de Humberto de Campos no mercado formal e gerando mais renda para suas famílias. A Colônia de Pescadores do município também participará do evento, compartilhando a experiência.
De acordo com a coordenadora de Apoio à Aquicultura da Sagrima, Isabela Neiva Moreira, que apresentará o trabalho no evento, a bem-sucedida parceria entre produtores, governo e iniciativa privada vem gerando o interesse de outros estados. “A ostreicultura no Maranhão está finalmente ganhando um rumo bem promissor, pois encontramos a fórmula ideal do sucesso que é o apoio do Governo do Estado juntamente com parcerias de setores privados e fonte de comercialização. Em 2017, estaremos implantando projetos bem equipados atendendo todas as normas para que as comunidades contempladas possam negociar seu próprio produto com selo de qualidade, onde todos saem ganhando”, disse.
O projeto de cultivo de ostras já está sendo ampliado para os municípios de Icatu e Primeira Cruz. Os projetos produtivos terão equipamentos como mesas fixas para o cultivo, caminhão frigoríficos para escoamento da produção e contêineres com depuradoras (equipamento que faz a limpeza interna das ostras por 48h), além do selo de inspeção estadual saindo direto da comunidade.
Com a ampliação do projeto, são esperados resultados ainda melhores, como explica o secretário da Sagrima, Márcio Honaiser. “Nosso objetivo, com a implantação dos projetos previstos nos municípios de Humberto de Campos, Icatu e Primeira Cruz, é chegar a uma produção de 36 mil dúzias de ostras, envolvendo inicialmente 120 famílias e abastecendo o mercado com esse item tão saboroso e apreciado na nossa culinária”, declarou.

Be the first to comment on "Sagrima é convidada a apresentar projeto de cultivo de ostras no Pará"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*