“Falta transparência na gestão da Famem”

“Falta transparência na gestão da Famem”

Henrique Bóis

O prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier PT), 44 anos, aglutina forças políticas que até recentemente marcavam com o atual presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, Cleomar Tema, prefeito de Tuntum. Encabeçando a chapa Humberto Coutinho, nome de que tema deu à sede provisória da entidade, no Calhau, há cerca de um ano, Erlânio afirma contar com grande maioria dos votos dos prefeitos maranhenses filiados à FAMEM na eleição marcada para o dia 30 de janeiro.

“A falta de transparência na prestação de contas da entidade” é apontada como a grande falha da gestão de Cleomar Tema pela terceira vez na FAMEM. Somado ao discurso da mudança, esbanja favoritismo com o apoio de um correligionário poderoso: o senador eleito Weverton Rocha, e do silêncio cúmplice do governador Flávio Dino.

Em entrevista exclusiva ao jornalista Henrique Bóis, o candidato fala do panorama a disputa e perspectivas para o futuro do municipalismo no país, neste novo momento político. Confira:

P – O senhor compôs a diretoria do atual presidente da FAMEM e agora o enfrenta na sucessão. Houve divergência sobre a condução de entidade?

Erlânio Xavier – A minha candidatura já era algo previsto. Na última eleição, já havia uma pretensão de alguns prefeitos da chapa, inclusive minha, de se candidatar à presidência da federação. Mas, mediante acordo com o prefeito Cleomar Tema, nós abrimos mão da candidatura para que ele fosse candidato único, em contrapartida ele se comprometeu a não ser candidato à reeleição nesse próximo pleito de 2019-2020. O que não aconteceu.

P – O senhor apontaria falhas na atual gestão da entidade representativa dos prefeitos?

Erlânio Xavier – Sim, como gestor municipal sinto falta de uma gestão mais atuante, participativa e defensora dos direitos dos associados. Também aponto como uma grande falha, a falta de transparência na prestação de contas da entidade.

P – O recém-empossado presidente Bolsonaro assumiu falando em combater a corrupção nos municípios. O senhor acredita ser o município uma célula importante dessa degeneração administrativa?

Erlânio Xavier – A corrupção, em qualquer que seja a esfera pública, traz consequências extremamente prejudiciais, pois afeta diretamente o desenvolvimento e o bem-estar da população.

P – O discurso da mudança permeia as eleições em níveis variados. Quais são suas principais propostas amparadas neste discurso em relação à FAMEM?

Erlânio Xavier – O nosso principal propósito é tornar a Famem mais útil e atuante. Entre as nossas propostas de mudança estão: a reativação da Escola de Gestão Pública da Famem, com a oferta regular e contínua de cursos aos gestores municipais e suas equipes; a inclusão no Portal da Transparência da prestação de contas da entidade; a realização de encontros regionais com palestras de profissionais nacionais sobre temas relacionados à gestão pública; a construção de uma sede própria e implantação de uma subsede na Região Tocantina.

P – Os prefeitos costumam frequentar os gabinetes de Brasília no ato denominado pires na mão. O anúncio do governo em estreitar relações com os municípios é uma perspectiva dos prefeitos ganharem autonomia em seus pleitos junto ao governo União?

Erlânio Xavier – Sim, terão, mas nós também trabalharemos e falaremos em nome deles em Brasília. Inclusive, uma de nossas propostas é a criação de uma representação no Distrito Federal para atendimento aos gestores municipais. Todas as Federações que representam os prefeitos no Brasil possuem essa representação, a fim de estreitar os relacionamentos com as esferas públicas nacionais. Assim será na FAMEM.

P – A eleições no país tem colaborado para elevar um nível de embate intolerante entre adversários. Na disputa com o presidente Cleomar Tema está no clima amistoso ou é permeado pela beligerância?

Erlânio Xavier – Não há motivos para animosidade, inclusive, havíamos colocado a nossa chapa à disposição para uma composição, caso fosse de interesse do Tema. A partir de agora até o dia 30, dia da eleição, cada um faz a sua campanha, defendendo as suas propostas e os gestores municipais decidem democraticamente quais rumos querem para a FAMEM no biênio 2019/2020.

P – O senhor conta com o apoio do senador eleito Weverton Roca, que saiu das eleições com 2 milhões de votos. Isso é um facilitador na disputa do eleitorado?

Erlânio Xavier – Acredito que a adesão massiva dos prefeitos à nossa chapa Humberto Coutinho se deve à insatisfação com a atual gestão e confiança depositada de que faremos um mandato voltado para os interesses municipalistas. O senador Weverton é um amigo pessoal, companheiro de partido e parceiro da grande maioria dos prefeitos maranhenses. Caso a nossa chapa seja vitoriosa será de fundamental ajuda junto à bancada e os órgãos federais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *