IPTU PMSL

SEMOSP

Informações da Câmara Municipal de São Luís

Informações da Câmara Municipal de São Luís

Astro de Ogum irá pedir a Chico Carvalho
o arquivamento de seu projeto
            O presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, Astro de Ogum (PR), irá discutir com o seu colega Francisco Carvalho (PSL) sobre a conveniência de este retirar de tramitação seu projeto de lei que institui, no âmbito do sistema municipal de ensino, o “programa escola sem partido”. A iniciativa do parlamentar gerou grande reação de professores do Município e de seu sindicato, o Sindeducação, que ganharam o apoio do Centro de Cultura Negra-CCN, professores da Uema, da Ufma e do Ifma, e do Diretório Central dos Estudantes da Ufma.
Eles entendem que se o projeto virar lei irá criar dificuldades aos professores para analisar e debater com os alunos os vários aspectos de um tema de aula e privar o mestre de sobre ele emitir opinião. É que, pelo projeto, o exercício da atividade docente deve estar em consonância com a neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado. Os professores também consideram o projeto limitante à atividade de ensino na medida em que estabelece que o poder público não se meterá na orientação sexual dos alunos nem permitirá qualquer prática capaz de comprometer o desenvolvimento de sua personalidade em harmonia com a respectiva identidade biológica de sexo.
Durante a reunião com o presidente Astro, da qual também participaram os vereadores Marcos Silva (DEM), presidente da comissão de educação; Sá Marques (PHS), membro da comissão; e o vice-presidente da Câmara Honorato Fernandes (PT), os mestres também expressaram discordância em razão de o projeto estabelecer que o professor, no exercício da função, não deve emitir suas opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias. Eles também criticaram outros aspectos da iniciativa do vereador.
TRAMITAÇÃO
O presidente da Câmara explicou aos professores o rito de tramitação de propostas dos vereadores e frisou que a ele cabe apenas pautar a votação dos projetos de lei, requerimentos, indicações e moções. Ele ressaltou que o projeto recebeu parecer favorável da procuradoria jurídica da Câmara, assim como aprovação da comissão de educação e por isso o colocou na pauta de votação da sessão ordinária de segunda-feira. Contudo, em face da reação dos professores a matéria não foi apreciada e que agora irá conversar com Francisco Carvalho para ver se ele concorda em retirar o projeto de tramitação.
Além de outros, participaram e argumentaram contra o projeto e pediram o seu arquivamento a professora municipal Elizabete Ribeiro, presidente do Sindeducação; professora Célia Motta, do curso de Ciência Política da Ufma; Neuseli Almeida, professora de Psicologia Social da Uema; professora Jacinta Moraes, coordenadora pedagógica de uma escola municipal; professora Mary Ferreira, do curso de Biblioteconomia da Ufma; professor de História Márcio Souza, com atuação em escola particular.
Câmara dá cidadania a professor que
trocou o Rio de Janeiro por São Luís
            A dedicação do doutor em psicologia Jadir Machado Lessa aos habitantes da capital do Maranhão, seja transmitindo e facilitando o acesso ao conhecimento aos seus alunos nas salas de aula da Universidade Federal ou no seu gabinete como clínico tratando os pacientes que a ele recorrem fez com que a Câmara de Vereadores lhe agraciasse com o título de Cidadão de São Luís, na tarde desta segunda-feira, em sessão solene.  A homenagem foi proposta pelo vereador Gutemberg Araújo Fernandes (PSDB) e contou com a aprovação unanime dos seus pares presentes à sessão que conferiu a distinção a este filho natural do Rio de Janeiro, mas que reside em São Luís já faz anos.
            Gutemberg Araújo, médico e também professor daquela universidade, ao justificar a concessão da honraria ressaltou que o doutor Jadir contribui diariamente para a solução de angústias e do sofrimento das pessoas que a ele recorrem. “Vossa Senhoria, para chegar à excelência do conhecimento, muito se esforçou e agora tem o merecido reconhecimento. Abraham Lincoln tinha razão quando disse: não se preocupe quando não for reconhecido, mas se esforce para ser digno de reconhecimento. Professor Jadir Lessa, São Luís lhe acolhe de braços abertos como seu novo filho”, concluiu.
            Por sua vez, o novo cidadão de São Luís agradeceu a honraria, o acolhimento que teve quando nesta capital chegou, sobretudo pelos também doutores Natalino Salgado, ex-reitor da Ufma, e Sanatiel Pereira. Ele lembrou que quando desembarcou no aeroporto Cunha Machado e pisou o solo pela primeira vez sentiu-se como se estivesse em casa e desta terra passou a ter carinho e devoção.
            “Desde que cheguei a São Luís percebi que minha alma sempre esteve à espera deste momento… … finalmente estou sendo adotado por São Luís, a cidade histórica mais significativa do Nordeste. Por isso, agradeço imensamente a esta Casa por me conceder o privilégio de poder me apresentar oficialmente como cidadão ludovicense”, salientou o homenageado.
FORMAÇÃO
            Jadir Lessa é mestre e doutor em Psicologia Clínica e Subjetividade pela Universidade Federal Fluminense e especialista em psicologia clínica pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro. Ele especializou-se também em terapias corporais pelo IBMR-RJ e é professor do Departamento de Psicologia da Ufma, sendo também coordenador na área de psicologia do Programa Ufma Sustentável.
            À solenidade foram presenças marcantes o professor Natalino Salgado Filho, da Ufma, o vice-reitor da mesma universidade, Fernando Carvalho, a superintendente do Hospital Universitário Presidente Dutra, doutora Joyce Santos Lages, Irandi Marques Leite, membro da Academia Ludovicense de Letras, o médico Jorge Cateb, a esposa do homenageado, Simony Faria, professora de Psicologia na Uniceuma, e sua filha Ana Karolina Brito. Além destes, compareceram também ao evento muitos outros amigos e alunos do homenageado.
 Genival Alves solicita Sistema de Bilhete
Único para a Zona Rural da capital
Por se tratar de área de difícil acesso, não só pela falta de infraestrutura, como pela falta de iluminação,  precariedade das estradas e do serviço prestado pelas empresas de ônibus coletivos que atendem a região, a situação da zona rural da capital, preocupa o vereador Genival Alves (PRTB).

Segundo informações dos moradores o intervalo de chegada entre uma condução e outra fica estimada em  até cerca de 40 minutos. Já para os mais idosos e portadores de necessidades especiais, a reclamação é da qualidade dos ônibus que se encontram em .condições de uso inadequadas, dificultando a acessibilidade das pessoas no transporte.

Preocupado com a situação dos usuários e moradores, Genival Alves, APROVOU na Câmara Municipal um requerimento de sua autoria no qual solicita à Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), que institua o Sistema de Bilhetagem Única para toda a região.

Segundo o vereador o objetivo é facilitar a vida da população que já é tão sofrida.

“Na zona rural da nossa cidade a maioria das pessoas além de idosas são as mais carentes, a qualidade dos serviços oferecidos pelas empresas de transportes sempre penalizam os moradores rurais e demais usuários, os piores ônibus estão lá, na zona rural, como se não bastasse, ainda temos a falta de infraestrutura, a buraqueira, então nada mais justo do que o nosso prefeito facilitar a vida dessas pessoas, com a bilhetagem eletrônica”, justificou, o vereador durante a aprovação em plenário do seu requerimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.